terça-feira, 8 de setembro de 2015

Esteban - ¡Adiós, Esteban! [2012]

Yandex 192kbps


Por Fábio Gudolle no cogumelo do zebu

Nunca me interessei pela banda Fresno. Lembro quando estouraram na infelizmente extinta Trama Virtual... Ah! Que tempos bons da Trama, quando ficava a tarde inteira descobrindo bandas nacionais desconhecidas.

Bem, a Fresno veio naquele modismo das chamadas bandas “emo”. Sempre achei uma besteira esse rótulo. Afinal, eles têm influencia do rock alternativo americano (como Anberlin, The Get Up Kids, Dashboard Confessional, Jimmy Eat World, etc) que cantam sobre amor sim. E qual o problema? É um tema universal que todo mundo se identifica. Ainda mais quando se está apaixonado ou é recém chutado. O problema é quando começam a seguir a concepção que a mídia impôs por “emo”, que são aqueles que se pintam e se fazem de vítima do mundo. Então a imagem se sobrepõe à música e torna-se repugnante. E a Fresno pelo que eu vi nunca se pintou.

Não é o estilo de rock que me deixe extasiado, mas é extremamente respeitável e visivelmente tem seus méritos. São bons músicos, são sinceros, cantam em português e são bons melodistas e letristas no que se dispõem. Principalmente o Rodrigo Tavares, baixista e que saiu da banda e está trabalhando sozinho com a alcunha de Esteban. Esse é um cara notável. Criativo, um bom pianista e tem sensibilidade – característica indispensável do bom artista.

Tavares é natural de Camaquã, mas se criou em Pelotas e sua primeira paixão musical foi o gaiteiro Renato Borghetti. Suas referencias como artistas são muito próximas com a música gaúcha e latina, mais precisamente com o rock latino. Isso contribuiu em perder o interesse pelo rock mais adolescente que fazia na Fresno e partir para suas aspirações quanto músico solo.

O álbum de estreia do multi-instrumentista admito que me pegou. Produção caseira impecável. Sonoridade boa e relaxante. Com muitos pianos e acordeon. É um rock inofensivo que flerta com a MPB e extremamente autoral – Rodrigo compôs todas as faixas. Alguma dúvida ainda de que é um bom músico? Versa sobre dor de cotovelo, mas o que importa! O que vale é a obra como todo.

Mesmo que para os roqueiros mais rígidos não interesse, é preciso saber ver as qualidades de uma música bem feita. Afinal, acredito que todo mundo tem um lado sensível. Escutem sem desdém. Tenho certeza que não se arrependerão.


Músicas:

1. "Canal 12"
2. "Pianinho"
3. "Visita"
4. "Muda"
5. "Sophia"
6. "Muito Além do Sofá" (Rodrigo Tavares, Carolinie Figueiredo)
7. "Sua Canção"
8. "Segunda-feira"
9. "Sinto Muito Blues" (com Humberto Gessinger)
10. "(Eu Sei) Você Esqueceu"
11. "Tudo Pra Você"
12. "¡Adiós, Sophia!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...